• Adicione tópicos

Segunda Câmara do TJ entende que filho maior de idade não tem direito a receber pensão ali...

JurisWay
Publicado por JurisWay
há 5 anos

A Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba entendeu, por unanimidade, filho maior de idade e esteja apto ao mercado de trabalho, não tem direito a pensão alimentícia. Desta forma, os membros do órgão fracionário desproveram, apelação cível movida por H. L. P. S. contra seu genitor. A relatoria do feito nº 200. é do juiz convocado Ricardo Vital de Almeida. Segundo relatório, a apelante aduz que seu pai deixou de acostar no processo prova suficiente de sua incapacidade em continuar pagando os alimentos, bem como alega que, mesmo tendo concluído o curso de Direito, não possui condições de se manter, uma vez que não tem inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba, não exercendo ainda a profissão.

Em seu voto, o juiz Ricardo Vital observa que quando se trata de filho maior de idade, constitui ônus deste, a prova da carência do alimentado de receber ou continuar recebendo a pensão de alimentos. O poder familiar cessa quando o filho atinge a maioridade civil, mas, evidentemente, não desaparece a relação parental, que pode justificar a manutenção ou até o estabelecimento de pensão alimentícia, desde que reste comprovada a condição de necessidade, disse o relator.

Ainda segundo o magistrado, não ficou comprovado na ação, que a apelante seja portadora de qualquer anomalia física ou psíquica que a impeça de trabalhar. Ao contrário, trata-se de uma pessoa saudável, graduada no curso de Direito, apta ao mercado de trabalho, ressaltou. O relator excluiu da sentença a condição temporal que foi imposta pelo Juízo de 1º grau, ou seja, exonerar o alimentante da obrigação alimentícia pra com a promovida a partir de junho de 2011.

Marcus Vinícius Leite

0 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)