jusbrasil.com.br
16 de Maio de 2022
    Adicione tópicos

    STF decide que eleitor pode votar apresentando apenas um documento com foto

    JurisWay
    Publicado por JurisWay
    há 12 anos

    O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na tarde desta quinta-feira (30) que os eleitores poderão votar, já neste domingo (3), portando apenas um documento oficial de identidade com foto. O título eleitoral continuará sendo solicitado pelos mesários, mas o eleitor não poderá ser impedido de votar caso não o apresente. Será obrigatório apenas um documento oficial com fotografia, como as carteiras de identidade, de motorista e de trabalho e o passaporte.

    O entendimento foi aprovado por oito votos contra dois, em julgamento de ação direta de inconstitucionalidade (ADI) apresentada na última sexta-feira (24) pelo PT contra o artigo 91-A da Lei 9.504/97, com redação dada pela Lei 12.034/09. Esse artigo prevê que o eleitor deve apresentar, para votação, o título de eleitor, além de um documento oficial com foto. O STF havia iniciado o julgamento da ação na quarta-feira (29), mas um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes adiou a decisão.

    O presidente do STF, Cezar Peluso, que votou contra o acolhimento da ação, afirmou que a decisão decretava a extinção do título eleitoral. No entanto, a relatora da matéria, ministra Ellen Gracie, ponderou que, sem o título, o eleitor gastará mais tempo para votar, pois o presidente da seção eleitoral terá de confirmar a situação do eleitor na documentação enviada pela Justiça Eleitoral.

    Além do presidente Cezar Peluso, votou contra a ação o ministro Gilmar Mendes, que não viu inconstitucionalidade no artigo 91-A da Lei 9.504/97. Para ele, o artigo pode ser apenas inconveniente. Mendes lamentou que o STF estivesse decidindo o assunto faltando apenas três dias para as eleições. Acrescentou ainda que o PT votou a favor da exigência dos dois documentos, no Congresso, e que o presidente Lula, do PT, não fez qualquer objeção ao sancionar a Lei 12.034/09, no ano passado.

    Gilmar Mendes lembrou que, para cumprir a determinação, a Justiça Eleitoral gastou quase quatro milhões de reais em uma campanha para esclarecer os eleitores. Além disso, os tribunais eleitorais prorrogaram até esta quinta-feira (30) o prazo para que os eleitores tirassem segunda via de títulos extraviados ou danificados.

    O ministro também desmentiu notícia do jornal Folha de S. Paulo de que teria recebido telefonema de um candidato, na quarta-feira, solicitando que a votação fosse adiada. Disse que já havia manifestado a outros ministros que pediria vista do processo.

    Votaram com a relatora Ellen Gracie os ministros Março Aurélio Mello, José Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto e Celso de Mello.

    A decisão dos ministros foi pelo acolhimento de medida cautelar apresentada pelo PT. Assim, o assunto voltará a ser analisado pelo Plenário do STF, quando acontecerá o julgamento do mérito da ação, o que poderá resultar na declaração de inconstitucionalidade do artigo da lei que estipula a exigência de dois documentos.

    Eli Teixeira / Agência Senado

    Informações relacionadas

    Tribunal de Justiça de São Paulo
    Jurisprudênciahá 2 anos

    Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Criminal: APR 0000522-50.2017.8.26.0416 SP 0000522-50.2017.8.26.0416

    Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp 1934464 SP 2021/0121226-6

    Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 636207 RJ 2020/0346611-5

    3 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    perdi meu RG posso votar se apresentar o B.O???? continuar lendo

    Eu Perdi Meu Título Como Posso Votar
    pq Eu Não Sei Minha Sessão continuar lendo

    vc conseguiu vota continuar lendo